terça-feira, 23 de setembro de 2014

Uma semana de espera

Papão só volta a jogar na Terceirona segunda-feira da semana que vem, contra o Cuiabá

Depois de dois dias de folga para, como disse o próprio treinador, “descansar ao lado da família e curar a ressaca pela derrota”, o elenco bicolor volta aos treinos hoje à tarde. O próprio Mazola Júnior volta a Belém hoje, pois esteve os últimos no interior paulista tratando de assuntos pessoais. Mesmo com folga maior que o normal, o time terá praticamente uma semana para se preparar, pois a próxima partida é apenas na segunda-feira da semana que vem, dia 29. Em relação à equipe que perdeu em casa para o Cuiabá-MT, o Papão deve ter algumas alterações.
Ausente no sábado por ter sido expulso na rodada anterior, o volante Augusto Recife cumpriu suspensão automática e é presença garantida contra a equipe de Campina Grande (PB). Sem ele, o Paysandu perdeu praticamente toda a qualidade da saída de bola e teve sérias dificuldades na armação das jogadas. Para tentar ajudar nessa lacuna, é provável que o time tenha Héverton. O meia recuperou-se de uma lesão na coxa esquerda, mas não reuniu condições físicas para entrar em campo, o que não deve acontecer agora.
Ainda assim, o problema de criatividade ainda é algo que atormenta o treinador. “Jogadores que já provaram seu valor anteriormente e aqui não mostraram ainda seu valor. O Héverton é mais um meia-atacante que um armador, entendo assim. O Rafael (Tavares) treinou muito bem, mas não correspondeu. Em nenhum momento ele conseguiu entrar o seu futebol, o que foi mostrado ano passado na Luverdense-MT”, disse Mazola após o jogo do fim de semana.
A presença de Rafael Tavares em campo, muito criticada por todos por causa da atuação abaixo da média do jogador, não se repetirá porque ele recebeu o terceiro cartão amarelo. O mesmo aconteceu com o centroavante Dennis, que também terá que cumprir suspensão automática. Precisando vencer, Bruno Veiga deve permanecer no comando de ataque, com Ruan como maio candidato a companheiro de setor ofensivo. O atacante voltou a jogar na rodada passada após quase 40 dias se recuperando de lesão e ainda sentou a falta de ritmo.
Ingresso - A diretoria bicolor definiu os valores dos ingressos para o jogo da 17ª rodada. Na próxima segunda-feira, contra o Treze-PB, a entrada para a arquibancada custará R$ 30,00 e para a cadeira R$ 60,00, R$ 20,00 a menos do que foi cobrado no último sábado.
**Fonte JAmazonia

Papão perde Dennis e Tavares contra o Treze, e pode ter Héverton e Recife

Após a derrota para o Cuiabá o elenco do Paysandu ganhou folga de dois dias e retorna aos treinamentos apenas nesta terça-feira. Com isso, o técnico Mazola Júnior terá praticamente uma semana para montar a equipe titular para o próximo jogo na Série C, que será apenas na próxima segunda-feira, dia 29.
O adversário será o Treze-PB e o treinador terá a volta do volante Augusto Recife – caso o atleta não seja julgado esta semana no STJD pela expulsão diante do Fortaleza – e o meio-campista Héverton, que está recuperado de uma lesão na coxa. Por outro lado, o Paysandu não terá o meia Rafael Tavares e o atacante Dennis, que receberam o terceiro cartão amarelo contra o Cuiabá e terão que cumprir suspensão contra o alvinegro paraibano.
Perder para o Dourado não estava nos planos dos bicolores. Com a derrota em casa por 2 a 1 para o Cuiabá, o Paysandu deixou escapar a chance de entrar na zona de classificação. Agora, os bicolores precisam vencer os seus dois próximos confrontos, contra Treze e Crac, além de ter que torcer pelos deslizes de Salgueiro e CRB.
**Fonte GloboEsporte/PA

A esperança fica mínima

Bicolores têm poucas chances de chegar à próxima fase

Depois da derrota de sábado para o Cuiabá-MT, o técnico Mazola Júnior admitiu que ficou bem mais difícil a missão de classificação para a segunda fase da Série C do Campeonato Brasileiro. De fato, são dois jogos e a necessidade de vencer os dois, além de torcer pelo tropeço de quem está acima. O elenco se reapresenta hoje para reiniciar o treinos, agora visando o Treze-PB, na próxima terça-feira. O nível de concentração terá que ser tão mais alto que, a partir de agora, a ida do Papão para o mata-mata que decidirá o acesso para a Série B passa a ser visto de fora como zebra. Se, antes da rodada anterior, o time bicolor era um dos três mais cotados para ficar no G4, agora é apenas o sétimo.
Antes de sábado, o otimismo imperava na Curuzu em relação à classificação do time para as quartas de final, já pensando até no acesso à Série B de 2015. O problema foi que a partida terminou 2 a 1 para o Dourado e a sequência ficou bem mais complicada. “Terça-Feira estaremos todos aqui com a cabeça erguida porque lutamos até o fim. Se não vencermos o Treze, aí sim o sonho acabou. Temos um jogo em casa e outro fora contra uma equipe já rebaixada. Matematicamente, temos chances. O Treze deve vir aqui atrás da salvação e seis ou sete equipes ainda brigam pela classificação. Enquanto der nos números, vamos batalhar”, comentou Mazola, no último final de semana.
Pelo site Chance de Gol, especializado em estatísticas esportivas, as probabilidades bicolores chegaram a apontar mais de 40% de chances de classificação, mas a derrota para o Cuiabá-MT deixou o time com apenas 13,3%. Já no levantamento do site Stasport, a valor dado ao Paysandu é ainda menor, de somente foi 8,7%.
Sétimo colocado na tabela de classificação com 20 pontos, o Papão também ocupa a sétima colocação nas probabilidades. Acima dele, estão ASA-AL, com média de 35,3%; Cuiabá (42%); Salgueiro-PE (68,3%); Botafogo-PB (71,6%); CRB-AL (72%) e o líder Fortaleza-CE (99,9%), virtualmente classificado.
O técnico bicolor aposta no fato de que ainda haverá confrontos diretos entre equipes que estão à frente e na disputa pela vaga. Excetuando o Fortaleza, os jogos que interessam são, na rodada seguinte, Salgueiro contra CRB, com a torcida por um empate; e Botafogo-PB e Fortaleza, com os bicolores querendo uma recuperação tricolor em pela João Pessoa (PB). Na 18ª e última rodada, além de ter que vencer o já rebaixado Crac-GO em Catalão, o que não vem sendo tão difícil ultimamente, torce por mais um empate entre CRB e Cuiabá e que o Águia confirme a fuga do rebaixamento com uma vitória em casa sobre o Botafogo-PB.
**Fonte JAmazonia

segunda-feira, 22 de setembro de 2014

Mazola mantém otimismo: “Temos chance”

Além da atuação individual de Yago Pikachu na Curuzu, o técnico Mazola Júnior precisou falar da situação complicada em que o time se encontra na luta pela classificação à segunda fase da Série C. 
“O golpe foi duro. Temos que esfriar a cabeça, cada um com sua família. Na segunda vai ser a ressaca e, terça, todos aqui com a cabeça erguida porque lutamos até o fim. Se não vencermos o Treze, aí, sim, o sonho acabou”, ponderou Mazola, que procurou mostrar otimismo na conquista da vaga. “Ainda dá. Com 26 pontos, chegaremos a 47% de aproveitamento, o que tem sido a média do quarto colocado. Temos um jogo em casa e outro fora contra uma equipe já rebaixada. Matematicamente, temos chances e aqui ninguém joga a toalha ou abandona o barco”, argumentou Mazola.
E para semear um pouco mais de esperança entre os jogadores do Paysandu, Mazola lembrou que o jogo diante do Alvinegro paraibano será o último da rodada. Ou seja, o Papão entrará em campo sabendo exatamento do que precisa. “O Treze deve vir aqui atrás da salvação. Nessa rodada, o nosso jogo será o último e seremos sabedores de todos os outros resultados. Não há por que abandonar o barco”, ressaltou o comandante bicolor. “Seis ou sete equipes ainda brigam pela classificação. Enquanto der nos números, vamos batalhar”, enfatizou.
Ao analisar a partida, Mazola também preferiu elogiar a competência do adversário, que soube aproveitar as duas oportunidades claras que conseguiram criar. “Eles tiveram duas finalizações e foram competentes. Nós, nas poucas que tivemos, colocamos apenas uma para dentro. No contexto geral, o jogo não fugiu do que prevíamos. Foi um jogo muito igual e o Cuiabá foi mais competente que a gente”, avaliou Mazola.
**Fonte JAmazonia

Hora de acertar o passo

Ainda na ressaca pela derrota para o Cuiabá-MT, papão estende folga para reorganizar time e “esfriar a cabeça”

Após a derrota para o Cuiabá-MT por 2 a 1, no sábado (20), que deixou o Paysandu mais distante de uma vaga na segunda fase do Campeonato Brasileiro da Série C, o técnico Mazola Júnior estendeu a folga do elenco até hoje. Os jogadores se apresentam amanhã na Curuzu para iniciar a preparação para a próxima partida, dia 29, em casa, contra o Treze da Paraíba. 
Para Mazola Júnior, o momento é de “esfriar a cabeça” e manter a tranquilidade para as duas últimas rodadas da etapa classificatória do torneio. O técnico do Paysandu falou sobre o desempenho da equipe e comentou a atuação de Yago Pikachu, que voltou a ser escalado no meio.
“Comigo ele sempre jogou como ala ou na linha média. Durante o ano todo não encontramos um armador. Jogadores que já provaram seu valor e aqui não mostraram ainda seu valor. Tivemos esse problema com a armação. O Yago sempre joga protegido, ora pelo Ricardo, ora pelo Éverton. O Rafael (Tavares) treinou muito bem, mas não correspondeu. Em nenhum momento ele conseguiu entrar com o seu futebol, o que foi mostrado ano passado na Luverdense-MT”, avaliou o comandante bicolor.
Yago admitiu o rendimento abaixo do esperado e confessou que ainda não conseguiu se adaptar totalmente ao meio-campo, deixando claro que prefere jogar como lateral. “Minha atuação foi abaixo do normal e reconheço isso. Venho sempre dando o máximo para ajudar no meio, mas todos sabem que minha posição é a lateral. Tem mais de 20 jogos que venho atuando no meio e ainda estou me adaptando. É um processo difícil porque tenho que jogar de costas para o adversário. Na lateral, a gente vem de frente e tem uma visão mais ampla do campo”, disse o jogador.
Entretanto, o jovem prata da casa garantiu que jamais pediu para ser escalado nesta ou naquela função e reiterou sua disposição de continuar a cumprir as determinações do treinador. “Nunca pedi para voltar (à lateral). Nos dois últimos jogos fora joguei mais na minha, como lateral e acho que fui bem. Mas, isso fica a critério do treinador. Eu estou aqui para ajudar “, enfatizou.
O Papão volta a campo na próxima segunda-feira, às 21h30, para tentar sua reabilitação diante do Treze-PB, jogando novamente na Curuzu, em jogo válido pela penúltima rodada da fase classificatória da Série C. Para se manter com chances de classificação, o time bicolor precisa vencer os dois jogos restantes e torcer por tropeços de adversários como CRB-AL, Salgueiro-PE e o próprio Cuiabá-MT.
**Fonte JAmazonia

domingo, 21 de setembro de 2014

Ficha Técnica: Paysandu-PA 1X2 Cuiabá-MT


Paysandu-PA 1X2 Cuiabá-MT
Campeonato Brasileiro
Série C - 16ª Rodada

Local: Estádio Nova Curuzú
Público: 14.176
Renda: R$ 334.350,00

Arbitro: Leandro Bizzio Marinho
Auxiliares: Alberto Poletto Masseira e Maiza Teles Paiva
Cartões amarelos: Fábio Alves, Rafael Tavares e Dennis (PSC); Diego Macedo, Ruan, Bosco, Elanardo e Marcelo Toscano (Cui)
Gols: Bruno Veiga 14’ 1ºT (PSC), Careca 27’ 1ºT e Bombinha 37’ 2ºT (Cui)

Paysandu: 
Paulo Rafael; Éverton Silva (Lenine), Charles, Lombardi e Fábio Alves; Ricardo Capanema, Zé Antônio, Yago Pikachu e Rafael Tavares (Djalma). Dennis (Ruan) e Bruno Veiga. 
Técnico Mazola Júnior.

Cuiabá: 
Willian Alves; Éder Sciola, Diego Macedo, Samuel e Ruan; Bosco, Elanardo e Gilsinho (Marcelo Toscano), Washington (Bombinha) e Careca (Fernando). 
Técnico: Márcio Goiano.

Papão toma virada do Cuiabá (MT) e se complica na Série C

Jogando em casa, o Paysandu saiu na frente com gol de Bruno Veiga, mas deixou de jogar e acabou tomando dois e se afasta do sonho da classificação

Frustração. Este é o sentimento que os mais de 14 mil bicolores deixaram o estádio da Curuzu na noite deste sábado (20), quando o Paysandu perdeu para o Cuiabá (MT) por 2 a 1, de virada. Apesar de ter saído na frente com um belo gol do atacante Bruno Veiga, o Papão deixou de jogar futebol a partir da metade do primeiro tempo e acabou sofrendo dois gols, Careca, no primeiro tempo, e Bombinha, no segundo.
Agora, na sexta posição com 20 pontos, o Bicola precisa vencer os seus dois últimos jogos para continuar com o sonho da classificação à próxima fase do Brasileiro da Série C. No domingo (28), o time de Mazola Júnior recebe o Treze (PB), na Curuzu. E pela última rodada da primeira fase, a equipe paraense viaja para Catalão, onde enfrenta o Crac (GO), no sábado (04).

O JOGO

1º tempo: Jogando melhor, Papão sai na frente, mas toma empate em descuido – Querendo os três pontos para encostar de vez no grupo dos quatro primeiros colocados, o Paysandu iniciou a primeira etapa com tudo. Explorando bem as beirados do campo com os laterais Éverton Silva e Fábio Alves, o Papão levou sufoco a meta do goleiro Willian Alves, do Cuiabá.
Enquanto Éverton Silva pintava e bordava em cima do lateral-esquerdo do Dourado, Ruan, mas não conseguia colocar a bola na cabeça de Dennis, que foi fortemente marcado na etapa inicial, Fábio Alves conseguiu se mostrar mais eficiente nos seus cruzamentos. O primeiro, aos 5 minutos, deu a oportunidade para Bruno Veiga abrir o marcador de cabeça, mas o atacante mandou para fora. Porém, na segunda oportunidade, Alves foi mais feliz. O lateral-esquerdo bicolor achou Dennis dentro da área, que de peito ajeitou para Bruno Veiga. O ágil atacante passou por dois marcadores e acertou um belo chute no canto inferior direito do goleiro Willian Alves, que não pode fazer nada. A bola chegou até furar a rede. Papão 1 a 0.
Dominante, o time do técnico Mazola Júnior passou a tentar controlar a partida, trocando passes no meio, mas aos 27 minutos os donos da casa foram surpreendidos. Após um lançamento perfeito do meia Elanardo, do Cuiabá, o atacante Careca, ex-Paysandu, aproveitou o cochilo da defesa, dominou a bola no peito e empatou a partida na Curuzu. 1 a 1.
 Com o placar igualado, a partida perdeu em qualidade técnica e ficou bastante truncada, principalmente no meio campo. Ao todo, quatro jogadores (dois do Paysandu e dois do Cuiabá) foram premiados pelo árbitro Leandro Bizzio Marinho com o cartão amarelo.
2º tempo: Partida cai tecnicamente e o Cuiabá vira o jogo – Na expectativa de que o segundo tempo fosse mais corrido e vibrante que a primeira etapa, o torcedor bicolor não viu o reflexo da equipe do Paysandu que foi no primeiro tempo.
Aparentemente confiantes que marcariam o gol da vitória a qualquer momento, os donos da casa passaram deixaram de se movimentarem pelos flancos do campo, jogadores passaram a jogar mais com a bola no pé e com isso se tornaram presa fácil para a boa marcação do sistema defensivo do Cuiabá, que esperava apenas uma bola para marcar o seu segundo gol e retornar para o Mato Grosso com os três pontos na tabela. E esta oportunidade aconteceu.
Com 37 minutos, o lateral-esquerdo alviazul Fábio Alves erra passe no meio-campo e fornece o contra-ataque para o Dourado. Bombinha recebe a bola, entorta o zagueiro Charles e chuta firme no canto do goleiro Paulo Rafael, que demorou a cair, e virou a partida para os visitantes.
O lance que o Paysandu chegou mais perto de marcar o seu segundo gol na etapa complementar foi na cobrança de falta do Zé Antônio, aos 31 minutos, que acertou a trave direita de Willian Alves. No mais, a partida não teve outros bons lances para o desapontamento do torcedor paraense.
**Fonte Portal ORMNesw

sábado, 20 de setembro de 2014

Caldeirão neles: bicolores querem a Fiel “em campo”

Mesmo sem dados oficiais do clube, a expectativa de público para hoje na Curuzu é das melhores. A expectativa de classificação, os poucos jogos em casa e a boa fase devem tornar o estádio bicolor num verdadeiro caldeirão. É com isso que jogadores e comissão técnica contam para ser o diferencial a favor do Paysandu. “Vamos fazer de tudo para dar uma grande alegria a esse torcedor que vai comparecer em massa. Precisaremos da torcida, pois o time deles é muito bom e o Cuiabá vem motivado pela troca de treinador, além de promessa de uma premiação. Mas acredito que nada disso será mais motivador que a Fiel lotando a Curuzu”, diz Mazola Júnior.
Para o treinador, mesmo que o adversário tenha essas motivações extras, o Paysandu terá também a sua. Para Mazola, de maior porte. “Se eles usarem essas ferramentas para motivar o time, nós temos uma ferramenta que é maior de todas: o apoio incondicional de nossa torcida”.
O lateral esquerdo Fábio Alves pede que a Fiel jogue com o time, o que implica, inclusive, em saber que o adversário tem qualidade e nada será fácil logo mais. “Esses dois jogos serão muito complicados. Quem for para a Curuzu vai se fechar e nós e a torcida teremos que ter paciência. Esse apoio será fundamental se pretendermos a classificação”.
Para o volante e capitão Zé Antônio, a despeito de todas as dificuldades a serem encontradas, o cenário está montado para o Papão tentar mais três pontos. “Tem tudo para dar certo. Estamos todos trabalhando juntos com o objetivo de levar o time à próxima fase. Classificando, nossa equipe vai chegar com muito mais força na sequência do campeonato”, afirma. “O jogo de amanhã (hoje) é fundamental para que a gente possa ter reais chances de classificação. A gente sabe que vai ser difícil, mas estamos preparados para encarar esse e os outros desafios que teremos pela frente”, completa o jogador.
**Fonte JAmazonia

Ficha do Jogo: Paysandu-PA X Cuiabá-MT


Paysandu-PA X Cuiabá-MT
Campeonato Brasileiro
Série C - 16ª Rodada

Local: Estádio Nova Curuzú
Data: 20.09
Hora: 18hs30

Arbitro: Leandro Bizzio Marinho
Auxiliares: Alberto Poletto Masseira e Maiza Teles Paiva

Paysandu
Paulo Rafael, Pikachu ( Everton Luiz), Charles, F Lombardi e Fábio Alves, Lenine, R Capanema, Zé Antônio (Araujo), Airton, Djalma (Heverton ou Raul Tavares), Bruno Veiga (Dennis)
Técnico: Mazola Jr.

Cuiabá
Willian Alves, Éder Sciola, Samuel, Luis Eduardo e Ruan, Elanardo, Bosco, Diego Torres e Gilsinho, Careca e Bombinha
Técnico: Márcio Goiano

Chegou a hora da decisão

Paysandu arruma o setor ofensivo para despachar o Cuiabá-MT e encaminhar a classificação na Série C

Na véspera do jogo contra o Cuiabá-MT, na Curuzu, o técnico Mazola Júnior fechou o treino. A imprensa só teve acesso ao campo nos momentos finais da movimentação, quando o principal já havia sido testado. Nada de novo no mundo do futebol. Mas, no caso do Paysandu, há uma explicação prática: o time vem de uma boa campanha de recuperação e nos últimos sete jogos levou apenas dois gols, nenhum deles nas três rodadas anteriores. Agora, com dois compromissos seguidos no Leônidas Castro e com a obrigação de vencer, o Papão vai ter que ir para cima. Com expectativa de casa cheia, a Fiel tem quase certeza que verá um Paysandu indo para cima em busca dos três pontos.
Na quinta colocação, com 20 pontos, o Papão encara hoje o Dourado e, na próxima rodada, o Treze-PB, ambos sob os olhares de sua torcida. Se vencer os dois jogos e chegar aos 26 pontos, pode até ir para a última rodada com uma das quatro vagas do Grupo A da Série C garantida. Mesmo que a classificação não venha antecipadamente, estará muito próxima. Depois de tanta oscilação nessa fase, a ordem dentro do elenco é fazer o dever de casa e não dar mais brecha para o azar.
“O time deles é muito bom, principalmente fora de casa. A defesa deles é sólida, muito forte no jogo aéreo, dois volantes com muita qualidade e uma transição rápida e com muita qualidade. Desses jogos todos que já fizemos em casa, este, contra o Cuiabá, sem dúvida, é o mais difícil”, alerta o técnico Mazola Júnior.
Entre os jogadores, há também a certeza de que o jogo de logo mais será não só o mais importante nessa Série C, mas um divisor de águas na competição. “Será o jogo mais importante do ano. Não dá para pensar em classificação se não passarmos pelo Cuiabá”, diz Fernando Lombardi.
**Fonte JAmazonia