domingo, 25 de janeiro de 2015

Ciclo de reforços está quase no fim no Papão

Com 17 jogadores contratados e já integrados ao elenco, o Paysandu segue à caça de pelo menos mais três novos atletas para encerrar de vez o ciclo de aquisições para a temporada. A direção bicolor não confirma, mas as especulações dão conta de que o clube ainda pretende fechar com um lateral esquerdo, um meia de ligação e um atacante.
Os jogadores pretendidos estariam sendo sondados pelo gerente Sérgio Papelin e pelo próprio treinador do time, Sidney Moraes. Segundo uma fonte ligada ao clube, o lateral e o meia deverão vir do futebol do Nordeste, onde tanto Papelin quanto o técnico já trabalharam e têm bom relacionamento com os clubes da região.
A vinda do lateral serviria para suprir a carência de uma espécie de “sombra” para o recém contratado Marlon, vindo do Vasco-RJ. O ex-vascaíno reina praticamente absoluto na posição, já que seu concorrente, no momento, é Caio Ribeiro, que, apesar de qualidade técnica comprovada, precisa ganhar maturidade, tendo sido promovido há pouco tempo do sub-20 do clube. A necessidade de mais um lateral esquerdo foi sentida já no primeiro Re-Pa do ano, quando o comandante bicolor se viu obrigado a improvisar o zagueiro Pablo no setor, depois que Marlon pediu para deixar o gramado.
Com relação a vinda do apoiador, a justificativa é de que o grupo conta com quatro jogadores para o compartimento do time, mas apenas Leleu é destro, com os demais - Carlinhos, Leandro Canhoto e Rogerinho - atuando pela faixa esquerda do campo. Destes, apenas Leleu, apresentado oficialmente à imprensa na última sexta-feira, ainda não atuou com a camisa do clube. Os outros apoiadores fizeram suas estreias no clássico Re-Pa da quarta-feira, com rendimento discreto, principalmente Carlinhos, apontado como uma das principais contratações do Papão para a temporada.
Até a estreia no Parazão, dia 2 de fevereiro, contra o Gavião, na Curuzu, Moraes espera estar com seu elenco fechado. O treinador, no entanto, já tem uma base da formação que deve iniciar oficialmente a temporada. A equipe, com algumas mudanças pontuais, deve ser a mesma que começou o Re-Pa.
** Fonte Diário do Pará

sábado, 24 de janeiro de 2015

Leleu chega com pose de titular

Meia-atacante se diz pronto para estar entre os onze do Papão

Na Curuzu, em meio à reapresentação, após o empate sem gols contra o Remo, o time fez um trabalho físico e pouco tocou em bola.
O volante Augusto Recife, embora faça a ressalva de que o time surpreendeu técnica e fisicamente, no amistoso entre Paysandu e Remo, realizado na última quarta-feira, sabe que o grupo precisa se apressar para adquirir a melhor forma possível, antes do jogo de abertura do Parazão. “Temos que encaixar logo porque o campeonato está próximo. 100% a gente não vai está, mas pelo menos 90%...”, vislumbrou Augusto Recife, já projetando o jogo contra o Gavião, dia 2 de fevereiro, na Curuzu.
O dia também foi de apresentação à imprensa do último contratado, caso do meia-atacante Leleu, ex-Atlético-MG e Náutico-PE. Vestindo a camisa do terceiro clube grande na sua carreira, Leleu assegurou que está pronto para assumir uma das 11 vagas do time titular e, enfim,  projetar-se nacionalmente. “Assumo a responsabilidade. Acredito que o grupo está muito forte, e a gente pode conquistar títulos”, enfatizou. Leleu é um meia-direito veloz, que parte geralmente para cima da marcação, como forma de abrir espaços. Outra característica é a sua disposição, segundo revelou o próprio jogador. “Sou um cara guerreiro, não desisto, sempre estou me doando para ajudar a equipe ao máximo.”
Apesar de estar visivelmente empolgado, Leleu foi sincero e admitiu que inicia a preparação para a temporada com um déficit físico, se comparado aos demais companheiros. Será improvável, portanto, que o atleta já esteja pronto para o primeiro jogo do Papão válido pelo estadual. “No momento, não estou preparado. Vou me preparar fisicamente nesses dias que faltam.”
Um momento polêmico da coletiva de apresentação de Leleu foi quando o atleta foi instigado a falar sobre a passagem pelo Náutico, clube que disputou e se manteve na Série B no ano passado. “Não tive uma passagem boa no Náutico, fiz bons jogos, mas não foi o que esperava. Quero deixar para trás e pensar no Paysandu. O Paysandu é um time grande, é uma vitrine muito boa, está com um projeto ótimo para a Série B. Agora é fazer um bom trabalho e ajudar a minha equipe.” Leleu chegou a fazer uma comparação entre o ex e o atual clube. “Cheguei aqui e já senti a diferença entre Paysandu e Náutico. Aqui, a estrutura é melhor que a do Náutico. O suporte é melhor”, defendeu o atleta, que não quis entrar em detalhes.
**Fonte JAmazonia

Buscando um "9", Paysandu procura atacante Souza, ex-Bahia e Flamengo

O Paysandu ainda tenta contratar jogador para a temporada 2015. Depois de 17 novos nomes, a diretoria busca anunciar um lateral-direito e um atacante para fechar o elenco. Na frente, o último procurado foi o atacante Souza, ex-Vasco, Flamengo e que estava recentemente no Criciúma. A informação foi confirmada por uma pessoa ligada ao empresário do jogador. 
- O Roger (Aguilera, diretor do Paysandu) ligou para o Carlos (Carlos Leite, empresário do atleta) e demonstrou interesse. Ele ficou de dar um retorno e estamos esperando – disse Renato Costa, sócio de Carlos Leite. 
Souza terminou a última Série A atuando pelo Criciúma e, em 13 jogos que foi utilizado (11 como titular), marcou quatro gols. Antes ele também defendeu o Vitória, fazendo um gol, em cinco jogos. 
Procurado, o presidente do Paysandu, Alberto Maia, disse que o clube ainda pode contratar, mas que não falaria sobre nomes. Apesar de não confirmar, a reportagem apurou que o Papão entrou em contato com o Criciúma, ex-clube de Souza, para saber mais informações do atleta. 
**Fonte GloboEsporte/PA

Paysandu ainda vai contratar

Mesmo próximo da estreia no Parazão, dia 2 de fevereiro, diretoria tenta fechar lacunas no plantel

Ainda faltam duas peças para concluir o ciclo de contratações do Paysandu, próximo da estreia bicolor no Campeonato Paraense - o primeiro jogo está marcado para o dia 2 de fevereiro, contra o Gavião, no estádio da Curuzu. A diretoria de futebol revela que as contratações prioritárias são de um lateral direito e um centroavante, mas não adianta nomes, seguindo uma rígida política para evitar que a informação vaze e a negociação se complique. O clube chegou a sondar o lateral Marcos, ex-Cruzeiro-MG e Ceará-CE, mas as conversas esfriaram em virtude do alto padrão salarial do atleta.
Para a posição de ataque, o clube faz uma pesquisa de mercado e pode fazer uma proposta oficial para contratar o rodado atacante Souza, ex-Vasco, Flamengo, Bahia, Criciúma, entre outros times. Souza está sem clube e pode acabar sendo contratado, como uma aquisição de médio impacto, considerando as circunstâncias. Atacante de força, com 1,88 m, ele vive um momento de declínio na carreira. Tanto que ainda não conseguiu se encaixar em nenhum clube da Série A, principalmente, em função do fraco desempenho no ano passado. Atuando com a camisa do Criciúma, que foi rebaixado, marcou quatro gols, em 11 partidas como titular. Antes, ele também defendeu o Vitória, fazendo apenas um gol, em cinco jogos. Como o momento da carreira é delicado, e o jogador está em fase de desvalorização, um detalhe pode favorecer a negociação. Para a transação se consumar, a questão salarial não será necessariamente um entrave, pois o atleta está disposto a se adequar ao que o clube pode oferecer.
As últimas informações dão conta de que o clube pode acertar com um atacante de área a qualquer momento. Porém, o nome de Souza não é o único da lista, sequer o prioritário. Como em episódios anteriores, o clube, mesmo que extra-oficialmente, pode liberar a divulgação da negociação com o Souza, para desviar o foco da negociação que, de fato, vai se consumar.
O fato é que a diretoria está tentando aumentar as opções do treinador Sidney Moraes. Inclusive, o setor de ataque tem várias peças à disposição, embora apenas Leandro Cearense possa fazer a função legítima de um camisa 9, cuja atribuição principal é a de se posicionar no meio dos zagueiros, para empurrar a bola para a rede. Além de Cearense, o elenco bicolor dispõe dos velocistas Bruno Veiga, Leandro Carvalho, Érico Jr, Aylon e Heber Santos.
**Fonte JAmazonia

quinta-feira, 22 de janeiro de 2015

Sidney Moraes elogia zaga bicolor no clássico: "Setor defensivo foi o melhor"

Para Sidney Moraes, técnico do Paysandu, o que menos importou foi o resultado final da partida contra o maior rival e a perda da vaga na final da Copa da Amazônia contra o Bahia. O treinador aprovou a estreia de seus comandados na temporada e destacou a atuação da dupla de zagueiros, formada por William Alves e Dão.    
– Setor defensivo foi o melhor. Eles (Remo) não conseguiram ficar de cara com o Andrey, pois nossos zagueiros estiveram bem postados, fizeram boa cobertura e um grande aproveitamento. Tanto o William (Alves) quanto o Dão estão de parabéns pelo que apresentaram hoje aqui – disse.   
O técnico do Papão, no entanto, destacou a falta de ritmo de alguns jogadores, sobretudo no primeiro tempo. Ainda segundo ele, a equipe bicolor teve a chance de sair com a vitória em dois lances na etapa complementar.   
– Tivemos duas chances claras de matar o jogo. No segundo tempo, tivemos mais posse de bola, diferente do primeiro, mas que também fomos bem.  Estou buscando explorar as características de cada jogador nosso. Por isso, Pikachu jogou na frente – disse.
**Fonte GloboEsporte/PA

Sidney Moraes elogia zaga do PSC e diz: 'Pênalti é loteria'

Treinador admitiu que falta de entrosamento e preparação física atrapalhou time bicolor

Logo após a derrota nas penalidades do primeiro Re-Pa de 2015, válido pela Copa Amazônia, o treinador do Paysandu, Sidney Moraes, elogiou a postura da defesa do seu time e disparou: 'Pênalti é loteria!'
O Paysandu foi eliminado depois de Leandro Cearense, ex-Remo, perder sua cobrança diante do goleiro Fabiano. O resultado credenciou o Leão a jogar a final do torneio contra o Bahia (BA), às 16h deste domingo (25), no Mangueirão, em Belém. O jogo, porém, segue sob risco de não ocorrer por motivos financeiros por parte da empresa promotora do torneio New Creation, de Boston (EUA).
Em entrevista coletiva, o comandante bicolor falou: 'Os jogadores não se conhecem. O Marlon e o Rogerinho chegaram a três ou quatro dias. Sabíamos que teríamos dificuldade, mas fomos bem taticamente e os jogadores corresponderam bem em campo'.
Perguntado o motivo para a escalação da dupla depois de ter treinado por mais tempo com Pablo e Carlinhos, respectivamente: 'O Pablo é um zagueiro, mas o Marlon é lateral de origem. O Rogerinho tem uma experiência maior'.
O próximo jogo do Papão será pelo Parazão 2015, no dia 2 de fevereiro, às 20h30, contra o Gavião Kyikatejê, na Curuzu, em Belém.
**Fonte Portal ORMNews

quarta-feira, 21 de janeiro de 2015

Ficha do Jogo: Paysandu X Clube do Remo


Paysandu x Clube do remo
Copa Amazônia - 1º Jogo

Local: Mangueirão
Hora: 21hrs.
Data; 21.05.2015
Ingressos: Arquibancadas R$50,00 e Cadeiras R$ 100,00,

Arbitro: Dewson de Freitas-PA
Auxiliares: Lúcio Ipojucan Ribeiro da Silva Mattos e Luis Diego Nascimento Lopes-PA

Paysandu
Andrey: Ricardo Capanema, Dão, William Alves e Marlon (Pablo); Augusto Recife, Elanardo, Yago Pikachu e Carlinhos (Rogerinho); Bruno Veiga e Heber dos Santos (Jonatha).
Técnico: Sidney Moraes

Clube do Remo
Fabiano; Dadá, Max, Raphael Andrade e Jadílson; Ilaílson, Felipe Macena, Fabrício e Eduardo Ramos; Rony e Rafael Paty.
Técnico: Zé Teodoro


Um esboço do que será o time

No Re x Pa, Papão já tem um perfil do que deve ser em 2015

Ainda é prematuro para afirmar que o Paysandu tem uma cara para o início da temporada 2015, mas já é possível adiantar um perfil da equipe para o clássico Re x Pa de hoje, a partir das 21h, no Mangueirão.
Para vencer a primeira partida da Copa Amazônia, o time de Sidney Moraes tentará aproveitar a velocidade de Yago Pikachu e Bruno Veiga, prioritariamente. Pikachu cairá pela meia-direita, atuando como um falso lateral, sendo que será precisamente um ala. Pelo lado esquerdo, Bruno Veiga jogará na faixa de um meia-esquerda, cuja ideia é se aproximar dos volantes, pedir a bola e, com ela, atuar em velocidade. Veiga tentará passar pela competitiva zaga do Remo, formada por Raphael Andrade e Max. Heber Santos, embora seja um jogador de ampla movimentação, atuará centralizado, para finalizar os lances criados e tenta prender um dos defensores azulinos. Heber precisa confirmar o bom começo de ano. Os números, por enquanto, são animadores. Em treinos do Paysandu, Heber fez quatro gols em três coletivos. O desafio é o jogador provar que treino e jogo andam lado a lado...  
Outra arma bicolor será o bom momento de um dos apoiadores. Carlinhos e Rogerinho estão na briga pela condição de titular. A julgar pelas declarações de Carlinhos e a maneira como vem se dedicando neste início de temporada, Carlinhos seria o centralizador das jogadas do Papão, algo próximo de ser o camisa 10 da equipe. Mas, o atleta pode sendo colocado em um segundo plano diante da experiência e habilidade de Rogerinho. Se Rogerinho provar a Sidney Moraes que pode jogar em bom nível por um período de 30 minutos, o paraense ganhará a vaga. O fato é que eles têm a obrigação de jogar em alto nível, em função de uma concorrência de peso. No último treinamento bicolor, Rogerinho foi testado na equipe de cima.    
A bola parada terá um cobrador em potencial. O lateral esquerdo Marlon pede passagem para assumir esta condição. Dono de um chute forte, e bem direcionado, Marlon também é opção para escanteios e faltas às proximidades da área. “É um dom que eu tenho e está à disposição do Paysandu”, disse o atleta, logo após impressionar inclusive a torcida, em uma movimentação antes do jogo de logo mais.   
Defensivamente, a tendência é que o Papão tenha mais problemas do que necessariamente soluções. A julgar pelos treinamentos, ficou claro que o momento vivenciado pela dupla de zaga, Dão e Willian Alves, ainda exige aprimorar o entrosamento. Talvez por isso, o treinador oriente os volantes Augusto Recife e Ricardo Capanema para jogarem mais presos a marcação, evitando problemas defensivos.
**Fonte JAmazonia

Ex-Galo é apresentado como novo meia do Paysandu

O meio campista Leleu, de 21 anos, foi apresentando no Paysandu na manhã desta quarta-feira (21). O jogador é cria da base do Atlético-MG, onde teve bom destaque e chegou até a atuar ao lado de Bernard e Ronaldinho Gaúcho no time profissional do Galo. O jogador foi emprestado ao Náutico-PE para a disputa da Série B do ano passado.
"Conheço alguns atletas que estão no Paysandu, já tive o prazer de jogar a favor ou contra, como o William Alves e o Érico Júnior. Cheguei há pouco tempo, mas já deu para sentir que o elenco tem um bom clima e a comissão técnica é bem harmoniosa com o seu trabalho, e isso ajuda, com certeza, para uma melhor adaptação do atleta. Estou feliz de vestir a camisa do Paysandu e quero começar os trabalhos o quanto antes”, disse Leleu.
O meio campista já vai sentir de perto a adrenalina de um Re x Pa na noite de hoje. Leleu vai ao Mangueirão conhecer de perto a Fiel.
"Vou estar presente mais tarde no clássico para ver de perto e apoiar os meus companheiros, além de conhecer mais sobre o estilo de jogo da equipe. Vai ser uma boa experiência ver esta partida", finaliza.
Leleu realizará exames no restante do dia e, caso os resultados sejam positivos, o atleta treinará com os não relacionados para a partida de hoje pela parte da tarde.
**Fonte Portal DOL

Sidney faz estreia no fogo

Técnico do Paysandu terá uma ideia da pressão que o espera durante toda a temporada de 2015

Embora o currículo de Sidney Moraes não seja tão extenso, o treinador do Paysandu está longe de ser um iniciante em clássicos. Como jogador do Fluminense, Sidney jogou contra o Flamengo, algumas vezes. Já como treinador, comandando o Náutico-PE, Sidney vivenciou partidas contra o Santa Cruz. Então, embora o Re x Pa tenha características peculiares, Sidney Moraes saberá a temperatura que o aguarda a partir das 21h de hoje. Quando a bola rolar, independente do que está em jogo, os bicolores não querem, em hipótese nenhuma, perder para o rival.
E apesar de fazer a ressalva que os seus jogadores não estão em um nível físico ideal para suportar a pressão do clássico, Sidney crê que o trabalho pode gerar bons frutos, logo de cara, mas também fez uma comparação com o adversário e chamou a atenção para um dado superior dos azulinos. “A minha expectativa é a melhor possível. Estou confiante no trabalho que está iniciando. Temos a dificuldade normal da parte física, de ter um time em formação, diferente do nosso adversário que tem vários jogadores remanescentes do ano passado, já se conhecem, está na frente desse aspecto de conhecimento, entrosamento”, comparou. “Mas a expectativa é a melhor possível, de ver o nosso torcedor, vamos torcer para que o torcedor compareça realmente para prestigiar, ver os seus novos jogadores, está chegando uma galera nova, um time novo”, continuou.
Para Sidney, a torcida do Paysandu tem motivos de sobra para acompanhar o time, embora o preço do ingresso esteja majorado e o torneio, aparentemente, seja só uma espécie de teste, em meio a uma pré-temporada. “Esse time tem perspectiva de estar numa crescente, e a gente espera ter um bom aproveitamento e vencer o jogo”, frisou, deixando claro que os momentos que antecedem uma partida dessa envergadura são especiais. “É um jogo bom, clássico, que mexe com a torcida, mexe com a cidade, e a gente tem que tirar proveito dessa situação”.   
O treinador terá o primeiro desafio em pouco mais de duas semanas de trabalhos técnicos, e sabe que não é prudente menosprezar o clássico. “É claro que queremos ganhar esse jogo, é importante vencermos para iniciar bem a temporada. Agora, vou analisar todos os aspectos para optarmos pela melhor situação”, disse. 
**Fonte JAmazonia