sábado, 28 de fevereiro de 2015

Bruno Veiga mostra a que veio

A sequência de duas vitórias do Paysandu coincide com o bom momento do atacante Bruno Veiga. Finalmente, ele voltou a apresentar o futebol que o fez uma das peças fundamentais na campanha bicolor do ano passado, que culminou com o acesso à Série B do Campeonato Brasileiro. A sua recuperação já foi visível na partida de volta contra o Santos-AP, pela primeira fase da Copa Verde. Se os críticos diriam que o adversário não era exatamente um parâmetro, Bruno resolveu calar o tom das dúvidas, confirmando o bom momento no jogo contra o Paragominas, já pela última rodada da fase classificatória do primeiro turno do Campeonato Paraense.
Em um dos lances puxados pelo atacante bicolor, ele passou como quis pelo lateral esquerdo do time adversário, Cristiano, e arrancou para a área do PFC. De lá, cruzou rasteiro para o volante Jhonnatan, que só teve o trabalho de empurrar para um gol vazio. O momento efetivo de gol serviu para retratar o retorno da boa fase de Bruno Veiga. Encarando o Santos, ele também esteve bem, embora não tenha participado diretamente de nenhum momento de gol.
A explicação para a evolução individual do atacante envolve o seu novo posicionamento em campo. O próprio atleta defendeu a tese de que não estava atuando à vontade quando o treinador Sidney Moraes estava no comando da equipe. Veiga relatou que, no esquema montado pelo ex-treinador do Paysandu, ele também era responsável por tentar dar o primeiro combate aos adversários, o que prejudicou a sua performance, segundo o próprio jogador. “Tinha que voltar para marcar o lateral. Era uma posição diferente da que estava acostumado. Não fiz isso no ano passado. Mas a posição que me colocarem, vou ajudar o máximo. Agora sei que tenho condições de ajudar muito mais. Do meio para frente, posso ajudar muito mais. Nesse jogo (contra o PFC), joguei mais adiantado, tive uma melhora grande”, analisou.
Rogerinho Gameleira, treinador interino do Paysandu, que fez o papel de transição entre as eras Sidney Moraes e Dado Cavalcanti, já havia chamado a atenção para o novo posicionamento de Veiga, que flutuava pela lateral direita, principalmente tabelando com Yago Pikachu. 
Para a boa fase se consolidar de uma vez por todas, basta Bruno Veiga voltar à condição de artilheiro em momentos decisivos. No Brasileirão da Terceira Divisão de 2014, Veiga fez seis gols e foi, ao lado de Ruan, o principal goleador do Paysandu na disputa do nacional. Por enquanto, Bruno Veiga acumula um jejum este ano: são seis partidas, todas como titular, e nenhum gol assinalado.
“Incomoda um pouco. Apesar de não ser um jogador da última finalização, já estou acostumado a fazer gol. Não estou acostumado a ficar tanto tempo sem fazer gol. Mas isso serve de motivação”, vislumbrou. De acordo com Bruno Veiga, o jejum o fará trabalhar intensificado o quesito finalização. “Contribui com muitos gols no ano passado. Neste ano venho evoluindo agora. É uma motivação que tenho que buscar dentro de mim e procurar melhorar nos treinamentos, verificando o que não tenho feito nos jogos.”
**Fonte JAmazonia

Bruno Veiga e Pikachu falam sobre primeiro dia de trabalho com Dado

Contratado há três dias, o técnico Dado Cavalcanti tem, nesta sexta-feira, seu primeiro dia efetivamente à frente do Paysandu. O pernambucano quer implementar no Papão a sua metodologia de trabalho portuguesa de preparação e treinamentos, explicada por ele durante a apresentação oficial, na última quarta-feira. Para a maior parte do elenco bicolor, o método é uma novidade, mas não um problema, como afirma Bruno Veiga.
– Esses trabalhos mais curtos realmente dão um ganho mais rápido, e ele (Dado) tem essa filosofia. Para nós jogadores é uma filosofia que é boa. É um pouco novo para mim, mas como ele falou: é fácil de entender, fácil de assimilar. Esse foi um primeiro treino, mas a gente conseguiu assimilar bem. Todos nós estamos com a expectativa muito boa de continuar nessa sequência de viórias que estamos tendo agora. Primeiro dia é isso, trabalhar, conhecer mais dele e ele passar um pouco mais do conhecimento para a gente – contou o atacante.
O lateral-direito Yago Pikachu contou ter ficado satisfeito com o treinador. Ele acredita que esta nova forma de trabalhar deverá acelerar o entrosamento do time para a sequência das 
– Impressão boa, é um treinador que cobra bastante. Não muda muito do Sidney, até por ser jovem, mas tem a filosofia dele, diferente. Nesse primeiro contato deu para ver que a gente vai se entrosar o mais rápido possível, para seguir por um caminho de vitórias durante a temporada toda. Esse primeiro treino (pela manhã) foi mais posse de bola, movimentação. Acho que isso é o que ele vai cobrar a gente bastante: tocar para o nosso companheiro e se deslocar para o espaço vazio – explicou o lateral.
Dado chega em um momento oportuno. Com a equipe fora das semifinais do Campeonato Paraense, ele terá bastante tempo para conhecer melhor o grupo que tem em mãos e poder adaptá-los ao novo método. São oito dias de folga no calendário até o próximo compromisso do Papão, contra o Nacional-AM, pela Copa Verde.
– Tem bastante tempo para o próximo jogo. Creio que o Dado vá colocar a filosofia de trabalho dele, vai colocar os onze melhores, que ele achar. Apesar de ele já ter trabalhado com alguns jogadores, para a maioria é o primeiro contato. Então a gente tem esse tempo para se conhecer e ver o que ele vai colocar, o esquema, jogadores. Isso não vai ser problema. Creio que a gente vá chegar no dia do jogo contra o Nacional bem preparado – opinou Pikachu.

O atacante Bruno Veiga, que não começou bem o ano mas vem crescendo de produção, também acredita que o Paysandu tem muito a melhorar na temporada. Ele espera paciência do torcedor, mas conta que fisicamente os jogadores estão evoluindo, o que também deverá melhorar as atuações na Copa Verde e no estadual.

– Sempre dá para melhorar. Claro que é início de temporada, e se a gente falasse que estamos no nosso máximo, no ápice, estaríamos mentindo. Não só o preparador físico que chegou, mas também o Cláudio Café, que fez um bom trabalho, uma boa pré-temporada. O ritmo a gente adquire com as partidas. No decorrer dos jogos, das competições, a gente vai aumentando a nossa capacidade física. Não é de um dia para o outro que a gente chega no nosso melhor. É dia a dia, trabalhando, jogo a jogo.

**Fonte GloboEsporte/PA

Dado começa a mostrar a cara

Técnico enfim pôde treinar com o Paysandu e apresentou novidades aos atletas em atividade rápida

Em Belém, desde a última quarta-feira, 25, o treinador Dado Cavalcanti teve o primeiro contato com grupo do Paysandu ontem pela manhã, no campo do Kaza, em Ananindeua. A programação também reservou a apresentação do Fred Posseibon, preparador físico da confiança de Cavalcanti. Membros da diretoria de futebol fizeram questão de apresentá-los aos atletas. Posseibon já orientou uma pequena movimentação física. Depois, os jogadores fizeram um treinamento tático, forçando o raciocínio rápido. Para acelerar o processo de entrosamento, Dado Cavalcanti participou do toque de bola, ao lado dos os atletas.  
Dois jogadores comentaram sobre as primeiras impressões do novo treinador. O primeiro foi o lateral direito Yago Pikachu, que voltou a demonstrar preferência por atuar na sua posição de origem. Yago também atua como meia-direita. “Foi o primeiro contato com o treinador, creio que ele sabe da minha posição de origem. Ele acompanhou o desempenho no último jogo, não só o meu, como dos companheiros. Não conversei com o treinador de forma particular, mas acho que não faltará tempo”, projetou. Yago voltou para a lateral direita nos dois últimos jogos, e fez gols contra o Santos-AP e Paragominas.
Pikachu crê que o período sem jogos oficias será benéfico para o novo comando. “Estes 10 dias serão um tempo suficiente para ele (Dado Cavalcanti) conhecer, colocar a filosofia de trabalho dele. Tem esse tempo para ajustar”, comemorou. Yago também falou sobre o próximo jogo da equipe agendado para o dia sete de março, contra o Nacional-AM, na Curuzu, pela segunda fase da Copa Verde. “A cada fase que vamos passando na Copa Verde, a dificuldade é maior. Temos um jogo em casa, e vamos lutar para fazer a nossa parte.”
**Fonte JAmazonia

sexta-feira, 27 de fevereiro de 2015

Conversa para acertar ponteiros logo no início do trabalho

Pelo que se comenta nos bastidores do Papão, Dado Cavalcanti aprovou a postura do time, na derradeira partida do primeiro turno do Campeonato Paraense, em que o Paysandu ficou apenas na terceira posição do grupo A2, sendo eliminado desta fase do estadual. Dado observou a partida, ao lado dos dirigentes do clube, e não deu entrevistas no pós-jogo, seguindo uma orientação do clube.
Ontem, o treinador se reuniu com os integrantes da comissão técnica permanente do Paysandu, cujo comando interino foi de Rogerinho Gameleira. A reunião durou mais de duas horas, quando foi exposta a maneira de trabalho do novo treinador. Gameleira explicou que será um aliado da comissão técnica. “Tivemos uma conversa com o Dado e ele repassou a sua metodologia. Vamos tentar ajudá-lo da melhor maneira possível. Isso é lealdade. E isso faz parte do meu caráter. O que queremos é ter tranquilidade, determinação e força de vontade para tirar o melhor de casa jogador.” E o momento de análise deve ser acelerado, pois já há problemas e candidatos a solução. O próximo jogo do Campeonato Paraense será apenas dia 15 de março, quando o Paysandu desafiará o Castanhal, fora de casa. Para esta partida, o volante Augusto Recife, que acabou expulso, será um desfalque certo.
**Fonte JAmazonia

Gameleira fala sobre conversa com Dado e de futuro como técnico

Em mais e dois anos como auxiliar técnico fixo do Paysandu, Rogerinho Gameleira teve a oportunidade e comandar o time principal como interino em sete oportunidades. O retrospecto é bastante positivo: quatro vitórias, dois empates e uma derrota. A mais recente oportunidade foi nesta quarta-feira, diante do Paragominas, enquanto Dado Cavalcanti, contratado na terça, ainda não assumia o time.
– Eu acho que o mais importante é que o clube agora tem um pouco mais de tranquilidade para o novo comandante trabalhar. Fizemos um bom jogo e conseguimos uma grande vitória. Hoje (quinta-feira) tivemos uma conversa com o Dado. Ele explicou a metodologia de trabalho integrado que pretende promover no Paysandu, e a gente vai tentar ajudar para conseguir os resultados mais importantes ao clube. A gente está trabalhando em conjunto e às vezes uma pessoa não vê tudo. Eu bem, ele bem e o Paysandu bem, é tudo que a gente quer – contou Gameleira.
O bom desempenho como técnico, mesmo que interinamente, ainda não empolga Rogerinho. O ex-meia e hoje funcionário do Papão está com 46 anos e espera mais maturidade antes de assumir a responsabilidade de assumir uma equipe de forma definitiva. Mas confessa que ficaria balançado caso recebesse um bom convite.
– Tudo tem o seu momento. Estou fazendo o terceiro semestre de educação física na faculdade. Primeiro penso em me formar e depois sim procurar outros voos. Em cima disso aí está a busca por novos métodos, mais conhecimento dentro do futebol, para depois pensar em novas experiências. Eu tenho a minha palavra aqui com o Paysandu e no momento eu não penso (em sair), mas a gente sempre vai ver. Uma proposta é sempre uma proposta –explicou.
**Fonte GloboEsporte/PA

Começa a “era Dado”

Novo técnico do Paysandu assume hoje, no estádio da Curuzu, o comando da equipe bicolor

Cavalcanti, treinador recém-contratado pelo Paysandu, iniciará a sua era hoje a partir das 8h30, no estádio da Curuzu. Na programação, exposta no site oficial do Papão, está reservada uma movimentação tática e há uma certa tendência pra treinamentos com bola, o que será crucial para o período de observação de Dado Cavalcanti. Como é habitual em todo início de trabalho, o treinador adiantou que se apressará para traçar um perfil de cada atleta, e estenderá a sua análise para o grupo. Na sua apresentação oficial, Cavalcanti adiantou que este primeiro momento tem um peso relevante para os demais dias do trabalho.  
“Primeiro preciso descobrir as peças, adotar um modelo de jogo e treinar em cima dele”, enfatizou o treinador, na última quarta-feira, antes do time se apresentar e ganhar do Paragominas, fora de casa, por 2 a 1, pela última rodada da fase classificatória do primeiro turno. Cavalcanti ainda ressaltou que, de acordo com o seu projeto, desenvolvido nos clubes anteriores e já apresentado à diretoria do Paysandu, está o treino particularizado, respeitando o perfil físico e técnico de cada jogador. “Isso leva a um pouco mais de paciência nos jogos e talvez dificulte um pouco”, ponderou. O tempo será um aliado para o novo comando, pois o Paysandu só volta a campo dia sete de março, para encarar o Nacional-AM, pela segunda fase da Copa Verde. Serão, portanto, quase uma semana de treinamentos específicos, já considerando o período de folga do grupo. No próximo domingo, por exemplo, os jogadores estarão livres.
Pelo menos teoricamente, o discurso acaba sendo coerente com a ideia desenvolvida pela cúpula de futebol do Papão, que detectou problemas físicos em parte do plantel, forçou a saída do preparador físico, Cláudio Café, ligado ao treinador Sidney Moraes, motivando a troca de toda a comissão técnica anterior.   
avalcanti, treinador recém-contratado pelo Paysandu, iniciará a sua era hoje a partir das 8h30, no estádio da Curuzu. Na programação, exposta no site oficial do Papão, está reservada uma movimentação tática e há uma certa tendência pra treinamentos com bola, o que será crucial para o período de observação de Dado Cavalcanti. Como é habitual em todo início de trabalho, o treinador adiantou que se apressará para traçar um perfil de cada atleta, e estenderá a sua análise para o grupo. Na sua apresentação oficial, Cavalcanti adiantou que este primeiro momento tem um peso relevante para os demais dias do trabalho.  
“Primeiro preciso descobrir as peças, adotar um modelo de jogo e treinar em cima dele”, enfatizou o treinador, na última quarta-feira, antes do time se apresentar e ganhar do Paragominas, fora de casa, por 2 a 1, pela última rodada da fase classificatória do primeiro turno. Cavalcanti ainda ressaltou que, de acordo com o seu projeto, desenvolvido nos clubes anteriores e já apresentado à diretoria do Paysandu, está o treino particularizado, respeitando o perfil físico e técnico de cada jogador. “Isso leva a um pouco mais de paciência nos jogos e talvez dificulte um pouco”, ponderou. O tempo será um aliado para o novo comando, pois o Paysandu só volta a campo dia sete de março, para encarar o Nacional-AM, pela segunda fase da Copa Verde. Serão, portanto, quase uma semana de treinamentos específicos, já considerando o período de folga do grupo. No próximo domingo, por exemplo, os jogadores estarão livres.
Pelo menos teoricamente, o discurso acaba sendo coerente com a ideia desenvolvida pela cúpula de futebol do Papão, que detectou problemas físicos em parte do plantel, forçou a saída do preparador físico, Cláudio Café, ligado ao treinador Sidney Moraes, motivando a troca de toda a comissão técnica anterior. 
**Fonte JAmazonia

quinta-feira, 26 de fevereiro de 2015

Ficha Técnica: Paragominas 1X2 Paysandu


Paragominas 1X2 Paysandu
Campeonato Paraense 2015
Grupo A-2
1ª Fase

Local; Arena Verde, Paragominas
Renda: R$ 30.720,00
Público: 21.722 e 500 credeciados.

Arbitro: Dewson F. F. da Silva
Auxiliares: Lúcio I. R. da Silva de Matos e Diórgenes M. Serrão
Gols: (PFC) Bruno maranhão 14" 1T; (PSC) Pikachu e Jonathan
Cartões amarelos:  Rodolfo Bastos, George, Aleílson Bruno Veiga, Romário, Augusto Recife
Cartões vermelhos: Augusto Recife, Douglas

Paragominas
Maycky Douglas; Rondinelli, George, Douglas e Cristiano Gaúcho; Ronald, Alécio (Rogério Rios) e Bruno Maranhão; Buiú, Rodolfo Bastos (Rene Castillo) e Aleílson. 
Técnico: Fran Costa

Paysandu
Andrey; Pikachu , Dão, William Alves e Romário (Marlon); Ricardo Capanema, Augusto Recife, Jhonnathan (Radamés) e Carlinhos Madureira (Leandro Canhoto); Bruno Veiga e Aylon. 
Técnico: Rogério Gameleira

Paysandu sob nova direção

Treinador Dado Cavalcante é apresentado na Curuzu e já projeta conquistar o Estadual e a Copa Verde

Com um discurso coerente, a primeira impressão passada por Dado Cavalcanti, novo técnico do Paysandu, foi positiva. O treinador foi apresentando oficialmente no final da manhã de ontem, no estádio da Curuzu, em uma situação diferente: os principais jogadores do Papão estavam em Paragominas para o compromisso de ontem à noite pelo Paraense.
Dado Cavalcante será o sucessor de Sidney Moraes, que se desligou do Papão no último domingo por conta de divergências com a diretoria de futebol.
O novo comandante bicolor apelou para a grandeza do Paysandu e adiantou, sem rodeios, os seus principais objetivos: a conquista do Estadual e a obtenção do inédito título da Copa Verde. Dado projetou também uma campanha segura no Brasileiro da Série B, a despeito do caráter competitivo do nacional.
“O Paysandu pode fazer um excelente campeonato. Tem camisa, tem condições para isso. A primeira percepção é a paixão da torcida, que conta a favor. Sei que a torcida sempre estará ao lado do Paysandu. Não é chavão, mas a torcida é o décimo segundo jogador. Estarei mais confortável do que das duas vezes que estive em Belém para enfrentar o Paysandu”, disse Dado, que já enfrentou o Papão no comando do Luverdense-MT e do Náutico-PE.
Na coletiva de imprensa, Dado ressaltou que dois profissionais de sua confiança vão integrar a comissão técnica bicolor: o auxiliar Wilton Bezerra e o preparador físico Fred Pozzebon, que já está em Belém. Bezerra deve chegar hoje.
Dado Cavalcanti enfatizou que conhece bem parte do plantel bicolor e sobre contratações: “Acho precoce falar de contratações. Conheço alguns jogadores, mas vou tirar conclusões individualmente. Não vou falar sobre isso nesse momento”.
**Fonte JAmazonia

Paysandu vence fora e elimina o Paragominas do 1º turno

Gols de Yago e Jhonnatan colocaram o Papão na 3ª posição do grupo A2 do Parazão

Mesmo eliminado da primeira fase do Parazão, o Paysandu tinha a missão de ir até Paragominas enfrentar os donos da casa, que ainda lutavam por classificação. No primeiro jogo após a saída de Sidney Moraes, o Papão fez bonito, venceu o jogo por 2 a 1 e , de quebra, eliminou o adversário.
Todos os gols saíram no primeiro tempo, e foi o Paragominas quem inaugurou as bolas na rede, com o atacante Bruno Maranhão, de fora da área. A virada do Papão veio com tempero bem regional, com dois atletas da terra, Yago Pikachu e Jhonnatan.
Com a vitória, o Paysandu termina o primeiro turno na terceira colocação do grupo A2, com seis pontos conquistados. Já o Paragominas perdeu a chance e classificação, caindo para a quarta posição.
As duas equipes só voltam a entrar em campo no Campeonato Paraense no dia 15 de março, na abertura da Taça Estado do Pará. Antes disso o Papão tem compromisso pela Copa Verde, no próximo dia 7, pela Copa Verde, contra o Nacional-AM, em Belém.
1ºTempo: Pikachu e Jhonnatan brilham - Jogando fora de casa e sem ambição no primeiro turno do Campeonato Paraense, o Paysandu entrou em campo como um típico visitante, atuando em esquema com três volantes e esperando o Paragominas tomar iniciativa de jogo.
O PFC, em esquema ofensivo, com Buiú e Aleílson abertos, com o passar do tempo foi dando trabalho para a marcação do Papão, em cruzamentos ou chutes de longe. E foi um chute de longe que a rede balançou. Aos 14 minutos, Bruno Maranhão bateu no canto de Andrey, que caiu, mas não conseguiu defender. 1 a 0.
O gol serviu com uma balde com água no rosto do sonolento Paysandu. O time acordou e passou a dar as cartas no setor de meio de campo, tendo em Carlinhos a figura mais participativa. Mas quem garantiu o empate foi o personagem de sempre. Yago Pikachu, no seu melhor estilo, vindo de trás, mandou um foguete na diagonal, que foi morrer no canto de Maicky Douglas. 1 a 1.
O empate só deu moral para a equipe comandava pelo interino Rogerinho Gameleira, que viu a sua equipe marcar mais um, chegando a virada, novamente em lance pela direita que começou com Pikachu, chegando aos pés de Jhonnatan, que invadiu a área e só teve o trabalho de tocar para dentro. 2 a 1.
No fim, Paragominas e Paysandu alternaram bons momentos para chegarem aos gols, mas o empate foi mantido até o apito final dos primeiros 45 minutos do árbitro Dewson Fernando Freitas da Silva. 
2ºTempo: Papão segura e elimina o PFC - Na etapa final, o Paragominas foi para cima, precisando fazer gols para ainda manter viva a chance de avançar no Parazão. O técnico Fran Costa, de cara, colocou mais um meia no time, dando maior mobilidade ofensiva ao time.
O Paysandu, entretanto, era inteligente, jogando sem riscos e aproveitando os contra-ataques para assustar o goleiro Maicky Douglas, bastante acionado ao longo da segunda etapa, mas sempre com reflexo e sorte para não deixar a bola entrar ou contar com a falta de pontaria do Papão.
Quando o Paragominas estava perto de chegar ao gol de empate, armando blitz na defesa listrada, o zagueiro Douglas cometeu falta dura em Aylon, recebendo o segundo cartão amarelo e deixando o gramado. O Paysandu aproveitou para equilibrar a partida e criar outras boas chances para marcar. A melhor veio com o próprio Aylon, que recebeu livre dentro da área, bateu no canto, mas Maicky Douglas esticou a perna e defendeu.
Com o jogo controlado, Augusto Recife também cometeu falta que lhe rendeu o segundo cartão amarelo, deixando os dois times com 10 jogadores, mas o Paragominas não teve força e perna para correr, vencer o jogo e se classificar.
**Fonte Portal ORMNews

quarta-feira, 25 de fevereiro de 2015

Treinador interino do Paysandu põe equipe jogando para a frente

O treinador interino do Paysandu, Rogerinho Gameleira, quer passar o bastão para Dado Cavalcanti em meio a um ambiente melhor. Ele considera que não será simples vencer o Paragominas, mas crê na mística camisa do Paysandu, capaz de superar momentos adversos. “É um jogo difícil, principalmente por essa circunstância: eles têm chance de classificação. Mas o Paysandu é o time grande e não pode jogar atrás, tem que jogar pra vencer”, enfatizou. 
Do lado do Paragominas, o treinador Fran Costa tem problemas de grandes proporções. Ele não poderá contar com a dupla de zaga titular, Charles e Cristovam, ambos suspensos. Fran deve escalar Douglas ou Dudu, apesar de existir a possibilidade de recuar o volante Alécio. Mas a improvisação pode ser apenas uma opção para o decorrer do jogo.
O diretor de futebol Eduardo Lima projeta a classificação, considerando que o Paragominas só depende das suas próprias forças. “Com certeza a classificação virá neste jogo de quarta”, disse, convocando o torcedor para ir ao estádio.
**Fonte JAmazonia