segunda-feira, 8 de fevereiro de 2016

Sistema tático mais tradicional agrada Celsinho

Como todo bom atleta com boa qualidade de passe e habilidade, Celsinho prefere um jogo com a bola no chão, tocando e envolvendo o adversário. Foi assim na estreia do campeonato, quando o bom gramado da Curuzu deu totais condições.
Mas nesse período do ano as chuvas costumam ser uma constante, e o atleta afirma que o grupo tem trabalhado alternativas para os jogos em condições mais adversas. “Caso tenha chuva e não consigamos fazer da forma que fazemos melhor, com a bola no pé, de forma técnica, temos que procurar outro caminho. Hoje em dia a bola parada ajuda a definir muitos jogos e temos atletas experientes e com qualidade nesse tipo de jogada. O importante é a superação, que tem que acontecer sempre. Sabemos as dificuldades, sabemos de tudo, e temos que saber passar por cima”, disse Celsinho.
As jogadas com bola parada são apontadas pelo meia como um dos lances que o técnico Dado Cavalcanti mais tem dado ênfase durante seu trabalho de pré-temporada, não apenas por pensar no Campeonato Paraense e sua chuva constante. “A equipe vem treinando isso a pré-temporada inteira, que é justamente para não ter essas dificuldades ao longo da temporada. Bola parada, muitas vezes, é o que decide um jogo muito equilibrado”, comentou.
Sobre sistema tático e formação, Celsinho afirma ser um apreciador do bom e velho 4-4-2. “Eu gosto dessa formação de dois meias e dois volantes no quadrado de meio campo. Você tem uma segurança maior com dois volantes e opções de criar maiores. A maioria dos times anda jogando no 4-2-3-1, ou 4-1-4-1, mas o 4-4-2 para mim é o mais básico e o que dá mais resultado”, explicou, elogiando o parceiro Raphael Luz “um meia de verdade” e o bom entendimento com Fabinho Alves e Leandro Cearense no ataque.
**Fonte Diário do Pará

Mudanças à vista, Dado?

Técnico tem um bom tempo para avaliar se promove alterações no papão para os próximos compromissos

O espaço de dez dias entre o último compromisso do Papão e a terceira rodada do Parazão, quando o clube enfrenta o São Raimundo, no Colosso do Tapajós, em Santarém, é um tempo de reflexão para o técnico Dado Cavalcanti. Depois de praticamente um mês de pré-temporada, um amistoso contra o Castanhal e dois jogos pelas primeiras rodadas do Campeonato Paraense, há como se traçar um panorama do time. E é sobre esse panorama que Dado vai refletir – e escrever as novas diretrizes do time, incluindo as substituições.
Para a próxima partida, quando o Papão pode selar a classificação às semifinais do Estadual, a equipe terá uma novidade. As notícias do Boletim de Informações Diárias (BID) da Confederação Brasileira de Futebol, onde são formalizadas as contratações do futebol brasileiro, podem garantir modificações no ataque bicolor. Depois de consolidar sua contratação, o atacante Bruno Veiga retorna à equipe. A pergunta é: no lugar de Leandro Cearense ou de Fabinho Alves? Considerando o perfil dos atletas e a proximidade de Dado Cavalcanti em jogar no esquema 4-4-2, a comissão técnica tem uma difícil decisão nas mãos.
Do Departamento Médico, a novidade aguardada é o volante Ricardo Capanema. O atleta ainda se recupera de uma lesão no bíceps femoral da coxa direita: um edema o impede de estrear pelo Paysandu na temporada deste ano. O DM ainda não deu prazo para o retorno do volante à equipe. A única garantia era a de que Capanema estaria fora da estreia, mas o time já vai para a terceira rodada sem seu defensor. Até o retorno do jogador, quem ocupa sua vaga é Ilaílson. Quem também se recupera é o zagueiro Gualberto, que foi submetido a procedimento cirúrgico no joelho direito, ainda no final do ano passado.
No campo tático, Dado vai prosseguir na busca pelo novo conceito de jogo a ser implantado na temporada 2016. Um conceito que surge da necessidade. Com a saída do lateral Yago Pikachu, o time perdeu fluxo de jogo pelos flancos, já que Yago tinha características técnicas e ofensivas de um meia. Dado busca, agora, uma equipe robusta pelo meio de campo, se aproveitando mais efetivamente dos meias, setor já reconhecido pelo próprio treinador como subutilizado no ano passado.
Se na primeira partida contra o Paragominas o time demonstrou que começa a entender a nova forma de jogo, no embate contra o Independente os meias Celsinho e Raphael Luz pouco apareceram. Os muitos toques de bola errados e a falta de coesão entre os setores do ataque e da defesa foram atribuídos, por Dado Cavalcanti, ao extenso campo do Navegantão. Uma premissa que será posta à prova no próximo jogo, no estádio do Colosso do Tapajós, este, sim, com dimensões oficiais.
Dos dez dias entre a última e a próxima partida, dois foram de folga. O time volta aos trabalhos na tarde de hoje, no estádio da Curuzu: segunda-feira gorda de conversa. Conversa sobre a manutenção dos resultados, apesar das falhas a serem sanadas: seis pontos em dois jogos, quatro gols convertidos e nenhum sofrido, além das boas defesas do goleiro Emerson. Por mais que a comissão técnica exija outra postura do time em muitos aspectos, o Papão é time 100% no Parazão deste ano.
A comissão técnica deve fazer a conta junto aos atletas: só a vitória garante o Paysandu nas semifinais da Taça Cidade de Belém ainda na terceira rodada. Alcançando os três pontos em Santarém, o Papão chega aos nove pontos, podendo ir despreocupado para a última rodada, quando joga novamente em casa. Caso consiga o empate, estará muito próximo da classificação e apenas uma combinação de vitórias consecutivas de Independente e São Raimundo poderia deixar o Papão de fora das semifinais do primeiro turno.
Copa Verde - Falta pouco para ser conhecido o adversário do Paysandu na primeira fase da Copa Verde. Na primeira partida da fase preliminar, de onde sairá o adversário do Papão, o Águia de Marabá deu o primeiro passo, vencendo o Fast-AM, no último sábado (6), na Arena da Amazônia, em Manaus (AM), por 1 a 0, com um gol do zagueiro Bernardo. Agora o Azulão joga em casa a segunda partida, no dia 17 deste mês, no estádio Zinho Oliveira. Ao final dos dois jogos, o classificado na fase preliminar enfrenta o Papão, no dia 9 de março, com horário e local ainda a ser definidos.
**Fonte JAmazonia

domingo, 7 de fevereiro de 2016

Handebol: Paysandu se tornou Decacampeão Paraense

O time de Handebol Feminino do Paysandu Sport Club se tornou DECACAMPEÃO (2002, 2004, 2005, 2008, 2009, 2010, 2012, 2013, 2014 e 2015), após vencer o time da Apec/Parauapaebas por 16 a 15, no dia 23 de janeiro, na cidade de Abaetetuba, em partida válida pela final do Campeonato Paraense de Handebol Feminino 2015, que foi realizada no ginásio municipal da cidade.
A técnica do Handebol Bicolor, Davina Gadelha, disse em entrevista ao site oficial do Paysandu sobre a conquista do deca campeonato. "As nossas atividades de Handebol no Paysandu começaram em 2002, através do Diretor de Esportes Olímpicos, Miguel Sampaio, e de lá para cá, nós viemos conquistando os títulos. A equipe da Apec/Parauapebas, que é um grande time, só valorizou esse deca campeonato. Foi um jogo bastante equilibrado, difícil, mas conseguimos vencer e terminar a competição como campeãs.”
A atleta Nayara Serrão foi eleita a melhor da partida.
A equipe bicolor se reapresenta no próximo dia 15 de fevereiro, visando a temporada de 2016
**Fonte Site Oficial do Paysandu

Aplicativo do Paysandu é o 3º mais baixado entre os apps esportivos

O Paysandu segue comemorando o sucesso do seu aplicativo oficial. Após anunciar que, em dois dias, o programa havia ultrapassado a marca de 11 mil downloads, neste sábado, através do Twitter, o Papão confirmou que os números aumentaram para 14 mil e que o aplicativo já é o terceiro mais baixado entre os apps esportivos gratuitos para Android.
O Paysandu lançou o seu aplicativo oficial para as plataformas IOS e Android na última terça-feira, dia do aniversário de 102 anos do clube. De acordo com o site bicolor, o Papão é pioneiro no Norte a ter o programa, desenvolvido pela empresa Ideias Mobile, em conjunto com o departamento de comunicação do clube.
Na plataforma, o torcedor poderá ver a história do Paysandu com registros fotográficos inéditos, a tabela de jogos na temporada, últimas notícias - que são postadas de forma sincronizada ao site -, além uma área da PapãoTV com os últimos vídeos, e um mural do torcedor.
**Fonte GloboEsporte/PA

Bicolores ganham um fim de semana inteiro de folga


Duas vitórias em dois jogos. Seis pontos e a liderança da chave. Um aproveitamento de 100% em campo e defesa invicta, com quatro gols marcados e nenhum sofrido. O começo do Paysandu no Parazão 2016 não poderia ser melhor. Embora as atuações ainda não tenham sido de encher os olhos, e técnico e jogadores já declararam isso, o time chega nesta semana na primeira pausa da temporada. Com a suspensão do Parazão por conta do Carnaval, o elenco bicolor terá um período de descanso, previamente agendado, de três, de ontem até domingo, e em seguida retorna com vistas ao duelo em Santarém contra o São Raimundo, jogo que pode garantir a classificação do time para as semifinais.

Na avaliação do capitão bicolor, Augusto Recife, o saldo do time até aqui é bom, mas a avaliação é que ainda é preciso crescer muito. “A competição é de tiro curto, então a gente não pode ficar deixando para depois. Cada jogo, cada treino, pensar em melhorar e evoluir cada vez mais. A equipe tende a evoluir. Sabemos que o que apresentamos até aqui ainda é muito pouco, mas isso é algo que com treinamento e uma sequência boa de jogos a equipe vai crescer”, prometeu Recife.

O capitão alviceleste avalia ainda que o time sentiu, no último jogo, uma dificuldade física no setor do ataque, e que a falta de experiência no futebol local acabou aumentando a dificuldade. “Acho que o nosso setor do ataque sofreu um pouco na parte física. Tirando o Leandro Cearense, do meio para frente ninguém conhecia o campo. Tivemos um pouco de dificuldade, mas o importante foi a superação. Não deu na técnica, mas não faltou vontade, não faltou entrega” encerrou o jogador.


**Fonte Diario do Pará

sexta-feira, 5 de fevereiro de 2016

Decisivo, Crystian revela: 'Foi meu 1º gol como profissional

Lateral direito de 23 anos fez o tento da vitória do Paysandu sobre o Independente, em Tucuruí

O número da camisa de Crystian é o 13, mas o fato de jogar na lateral direita deixada por Yago Pikachu parece ter inspirado o jogador, que marcou o gol da vitória do Paysandu sobre o Independente, na noite desta quinta-feira (4), no Navegantão, em Tucuruí, e revelou que foi o primeiro da carreira como profissional.
O jogador, porém, descarta qualquer tipo de comparação com o lateral direito mais goleador da história bicolor.
'Tenho um estilo de jogo ofensivo, mas priorizo a marcação. Não dá para comparar com o (Yago) Pikachu. Ele fez a história dele e eu quero fazer a minha. Hoje, foi o meur primeiro gol como profissional e estou muito feliz', disse à TV Cultura.
Aos 23 anos, Crystian é cria das divisões de base do Vila Nova (GO), de onde foi convocado para disputar o sul-americano e o mundial sub-17. Lá, conheceu o craque do Barcelona (ESP), Neymar, que o indicou ao Santos (SP). O garoto foi contratado pelo Peixe em 2009, mas acumulou problemas extra campo, o que resultou em apenas 15 jogos em seis anos na Vila Belmiro. 
Antes de vir para o Paysandu, Crystian estava no Paraná, onde realizou apenas dois jogos e trabalhou com o gerente executivo de futebol Alex Brasil, atualmente no Papão.
No Paysandu, Crystian contou com a não regularização de Roniery para garantir a titularidade na estreia, foi bem contra o Paragominas e manteve a vaga, que, com o gol, fica - teoricamente - assegurada para a terceira rodada, quando o Bicola enfrentará o São Raimundo, às 17h do outro domingo (14), no Colosso do Tapajós, em Santarém.
**Fonte Portal ORMNews

Galo abatido

Time bicolor vence o Independente por 1 a 0 e lidera o grupo A2 do Campeonato Paraense

Sob a persistente chuva de Tucuruí e com o maior campo do Parazão, o Paysandu cozinhou o Independente até conseguir um gol, na noite de ontem, o que garantiu a segunda vitória ao Papão. No estádio do Navegantão, o Galo Elétrico lutou pela vitória no início do jogo e foi até o fim pelo empate, mas não foi o suficiente: o Papão agora é líder do grupo A2 da taça Cidade de Belém, primeiro turno do Parazão. Depois da folga do carnaval, o Paysandu vai para a terceira rodada apenas no dia 14 contra o São Raimundo, muito próximo da classificação às semifinais. Com a vitória, o Bicolor acaba um pequeno tabu de dois anos sem vencer em Tucuruí.
Logo no início do jogo o Independente lembrou a potência da antiga Estrada de Ferro e partiu pra cima. O time não ia buscar apenas uma jogada para garantir, no mínimo, um empate. O Galo queria a vitória. E, em cinco minutos de jogo, o Papão havia chegado à área do Galo somente numa bola parada. O adversário jogava em casa – e aproveitava a vantagem. O chuvisco não virava chuva. E o Papão mantinha um time recuado. O extenso campo do Navegantão era o 12º jogador do Galo.
Aos 15 minutos, o técnico Dado Cavalcanti assistia a um Papão enviesado, o oposto ao que havia planejado nas duas semanas anteriores. Sobravam passes errados, o Independente acuava o Papão e havia pouca ligação entre defesa e ataque. Não havia entrosamento: o time parecia mal posicionado. E, mesmo com menor posse de bola, aos 18 minutos o Paysandu teve a melhor oportunidade, mas o Fabinho Alves perdeu a chance, chutando em cima do goleiro Alencar Baú.
A partida avançava, o panorama se mantinha. O Paysandu, fora uma oportunidade, era inexpressivo. O Independente, por outro lado, teve duas ótimas oportunidades numa falta de longe e numa cabeçada. O goleiro Emerson era o que mais trabalhava com duas boas defesas. E, então, o chuvisco fora para o aquecimento. No meio do campo, setor priorizado por Dado, Raphael Luz e Celsinho pareciam não ter entrado. O time estava do avesso.
Mas houve certa melhora. Aos 30 minutos, o Papão, enfim, começava a se soltar em campo, acertando passes, conectando defesa e ataque, mas as finalizações passavam longe de abrir o placar. E, enfim, sombrinhas abertas: a chuva entrou em campo. O primeiro tempo chegava ao fim com um bom chute, novamente do Independente, nos pés de Dudu, mas que saiu à linha de fundo.
Para o segundo tempo, o Paysandu parecia a equipe da última partida na Curuzu, mas faltava coesão na equipe. Até os 15 minutos, apesar da melhoria, não havia efetividade no ataque. Aos 17 minutos, saiu o atacante Jaime para a entrada de outro atacante, Daniel Papa-léguas. O Paysandu pouco explorava as laterais, o cansaço começava a se abater, mas o Papão permanecia o mesmo. Tal qual no primeiro tempo, aos 20 minutos, o Paysandu perdeu a melhor chance da segunda etapa: Fabinho Alves perdeu de novo de cara. Dois a zero para o goleiro do Galo, Alencar Baú.
Só na metade do segundo tempo o Paysandu se reencontrou: tratou o time do Independente como um tucunaré do Tocantins num caldo de chuva. A caldeirada foi salgada com uma melhoria no toque de bola e temperada com uma mudança efetiva no meio do campo. Veio a tranquilidade almejada e o caldo queimou a língua do retrospecto: depois de dois anos sem vencer o Independente dentro de casa, o Papão quebrou o tabu.
O terceiro embate entre o ataque do Papão e o goleiro Alencar Baú chegara a um desfecho favorável. O lateral direito Crystian recebeu a bola na entrada da área, aos 22 minutos, cortou a zaga e despachou uma bola rasteira. Aí não deu para Alencar Baú. O Papão fazia 1 a 0 na casa do Galo. Era o fim de dois anos de tabu.
**Fonte JAmazonia

Ficha Técnica: Independente 0X1 Paysandu


Independente 0x1 Paysandu
Local: Navegantão (Tucuruí/PA)
Renda: R$ 43.320,00
Publico: 3.034

Árbitro: Benedito Pinto da Silva
Auxiliares: Hélcio Araújo Neves e Diorgenes Menezes Serrão
Cartões amarelos: Jaquinha e Monga (IND)/ Fabinho Alves (PSC)
Gol: Crystian (22'/2ºT)

Independente 

Alencar Baú; Pedro Balú, Rubran, Ezequias e Jaquinha; Dudu, Billy e Fabrício (Leandrinho); Jayme (Daniel Papa Léguas), Chaveirinho (Alexandre) e Monga. 
Técnico: Lecheva
Paysandu 

Emerson; Crystian, Fernando Lombardi, Gilvan e Raí; Ilaílson, Augusto Recife, Raphael Luz (Lucas) e Celsinho (Marcelo Costa); Fabinho Alves e Leandro Cearense (Betinho).
Técnico: Dado Cavalcanti

Paysandu vence o Independente e se mantém invicto no Parazão

Resultado deixou o Bicola na liderança isolada do grupo A2 do campeonato

Em um jogo definitivamente de mando do Independente, foi o Paysandu que, eficiente, conseguiu a vitória, na noite desta quinta-feira (4), no Navegantão, em Tucuruí. A partida foi válida pela segunda rodada do primeiro turno do campeonato paraense de 2016.
O único gol do embate aconteceu aos 22 minutos do segundo tempo, quando o lateral direito Crystian - que veste a 13 - 'relembrou' o antigo dono da camisa 2, Yago Pikachu, e guardou a bola na rede adversária.
Com a vitória, o Papão se torna o único 100% no campeonato e, portanto, lidera de forma isolada o grupo A2 do certame. Já o Independente amarga a derrota neste que foi seu primeiro jogo no ano.
Na próxima rodada, o Galo Elétrico vai a Santarém para encarar o Tapajós, às 18h do outro sábado (13), no Colosso do Tapajós, mesmo local em que, no dia seguinte, o Paysandu vai encarar o São Raimundo, às 17h.
1º tempo: Independente mais objetivo e Emerson salvador - O Independente dominou o primeiro tempo do confronto com o Paysandu, que tentou criar, mas esbarrou na boa defesa do Galo. Os primeiros bons momentos de perigo a gol aconteceram aos quatro minutos. Em cobrança de falta, Celsinho manda a bola com perigo e Alencar Baú defende e quase cai com a redonda dentro do gol. Na sequência, o time de Tucuruí saiu rápido e Jaquinha foi acionado na canhota. Ele ameaçou cruzar e bateu na bola com efeito para o gol. Emerson se esticou e acompanhou a saída dela pela linha de fundo.
O Paysandu voltou ao ataque aos 19 minutos. A boa jogada de Rapahel Luz e Crystian foi finalizada com lançamento do ex-Cuiabá para Fabinho Alves, que chutou e Alencar Baú, bem posicionado, espalmou.
Os donos da casa passaram a se apoderar da partida e Fabrício foi para uma cobrança de falta da intermediária. Ele surpreendeu e mandou um balaço no ângulo de Emerson, que voou para espalmar. Na cobrança do escanteio, Monga cabeceou livre de marcação na pequena área. O goleiro do Papão voltou a mostrar serviço de forma espetacular. Ele rebateu e a bola ficou na disputa entre Raphael Luz e Ezequias, que jogou pela linha de fundo. Tudo isto entre os 24 e os 26 minutos.
Já aos 36, Fabinho Alves tentava ajudar a marcação e acabou saindo errado. Billy agradeceu e mandou para Fabrício lançar Alexandre, que chutou forte e viu Emerson espalmar mais uma vez.
Dez minutos depois, Jaquinha, que foi um dos destaques do primeiro tempo, disparou pela canhota e cruzou para Monga, que protegeu a bola da zaga bicolor e ajeitou para o volante Dudu soltar uma pancada. A bola saiu pela direita da meta bicolor.
2º tempo: Paysandu apruma marcação, vence e segue 100% - Na volta para o segundo tempo, o Paysandu passou a equilibrar o jogo, principalmente, fortalecendo a marcação para evitar as investidas de Jaquinha, pela esquerda.
O Papão voltou a atacar e conseguiu criar grande chance aos 19 minutos. No oportunidade, Celsinho lançou Fabinho Alves, que entrou na área sozinho. O camisa 11 dominou e bateu forte para a grande defesa de Alencar Baú.
O Galo voltou a assustar, mas foi o Paysandu quem conseguiu marcar. No lance, Fabinho Alves recebeu na área e deixou para Christian, que dominou, limpou a marcação e chutou de esquerda no canto para marcar.
Aos 36 minutos, o Papão voltou a atacar com perigo. Lucas recuperou a redonda no meio e deixou para Betinho, que driblou, avançou com velocidade e chutou cruzado. A bola saiu rente à trave direita de Baú e saiu pela linha de fundo.
**Fonte Portal ORMNews

quinta-feira, 4 de fevereiro de 2016

Ainda sem Capanema, Papão mantém time titular para enfrentar o Galo

O técnico Dado Cavalcanti comandou um treinamento técnico e tático na manhã desta quarta-feira, no Estádio da Curuzu, como preparação para o confronto diante do Independente Tucuruí, pela segunda rodada do Campeonato Paraense. Na movimentação, o treinador manteve a equipe titular que venceu o Paragominas na estreia da competição.
A equipe treinou com Emerson; Crystian, Fernando Lombardi, Gilvan e Raí; Ilaílson, Augusto Recife, Raphael Luz e Celsinho; Fabinho Alves e Leandro Cearense.
O volante Ricardo Capanema, em recuperação de lesão, não participou do treinamento e mais uma vez vai desfalcar o Papão. O lateral direito Roniery está regularizado e à disposição do time bicolor.
A delegação do Paysandu viaja no início da tarde de hoje, após o almoço, com destino a Tucuruí-PA, onde enfrenta o Independente nesta quinta-feira, a partir das 20h30, no Estádio Navegantão,
**Fonte GolboEsporte/PA